7 aspetos que distinguem o Journey To The Savage Planet de outros jogos de ação sci-fi

Fica a conhecer melhor o excêntrico jogo de aventura e exploração da Typhoon Studios

 
 

1. A exploração é essencial

Na pele do mais novo recruta da Kindred Aerospace, és largado num planeta inexplorado chamado AR-Y 26. Com poucos equipamentos e sem nenhum plano inicial, terás de explorar, catalogar a flora e a fauna alienígena e determinar se o planeta está apto para ocupação humana.

Contudo, em breve descobrirás que nem tudo é o que parece. Ao longe podes avistar uma torre misteriosa que sugere que não és a primeira pessoa a pisar este planeta. Por isso, além de desempenhares o papel de botânico e cartógrafo, também tens um mistério para resolver e aventuras para protagonizar.

Em termos práticos, isto traduz-se numa jogabilidade aliciante de estilo “Metroidvania”:

Passo 1

Parte da tua nave para explorar o AR-Y 26 e investigar a sua vida selvagem enquanto te defendes de ameaças alienígenas.

Passo 2

Quando encontrares um obstáculo inultrapassável, parte numa missão secundária para localizar os materiais necessários para criar uma ferramenta ou uma habilidade especial que te permita avançar.

Passo 3

Retorna à tua nave para criar o tal item e depois regressa ao desconhecido para continuares a tua aventura.

“O AR-Y 26 é algo semelhante a um aquário que alguém abanou ou à Arca de Noé se tivesse explodido.”

 

- Alex Hutchinson, diretor criativo

 
 

2. Foi criado para te fazer sorrir

1. Tem sentido de humor

O Journey to the Savage Planet é um jogo que não se leva muito a sério. Com um enredo inteligente, um elenco de personagens e criaturas absurdas e uma obsessão saudável com tudo o que é escatológico, esta é uma experiência ligeira que foi criada para te deixar de sorriso no rosto.

2. É colorido

A equipa de desenvolvimento inspirou-se nas cores primárias dos jogos da era de 16 bits, tendo como referência os céus azuis brilhantes de clássicos como Outrun e Sonic the Hedgehog. A única textura castanha que encontrarás é a do estrume alienígena…

3. Tem espírito positivo

Não contes com uma história sombria sobre heróis torturados que salvam a humanidade da extinção iminente. O Savage Planet remete para a era dourada da ficção científica, onde os corajosos aventureiros partiam à exploração do desconhecido com um brilho nos olhos e uma disposição alegre.

“O AR-Y 26 é um local positivo e está muito longe de ser uma espécie de distopia opressiva.” 

 

– Alex Hutchinson, diretor criativo

 
 

3. É um mundo compacto que respeita o teu tempo

O Journey to the Savage Planet é o primeiro título da Typhoon Studios, uma pequena equipa liderada por Alex Hutchinson, o antigo diretor criativo do Assassin’s Creed III e do Far Cry 4. O primeiro jogo deste estúdio aproveita a experiência acumulada dos seus membros na criação de grandes mundos abertos, mas compacta-a num jogo fácil de gerir e sem distrações vazias que não pede meses do teu tempo para terminar.

Densidade em vez de tamanho

O ARY-26 é um “mundo” modesto absolutamente repleto de coisas para ver. Ao longo de quatro biomas distintos, poderás explorar cavernas, campos gelados, ilhas flutuantes, florestas de cogumelos, poços de lava e mais ainda e encontrar mais de 30 espécies alienígenas diferentes.

Duração

Podes contar com uma experiência que durará entre 10 a 12 horas. Sem “grind”, sem conteúdo supérfluo, sem objetivos intermináveis para perseguir: apenas uma aventura concisa com início, meio e fim a um preço que reflete o conteúdo.

Para voltar a jogar

Apesar desta ser uma experiência concisa, a história pode terminar de formas diferentes, dependendo das decisões que tomares. Se quiseres jogá-lo uma segunda vez, tens bons motivos para fazê-lo.

“Não vão passar dias a caminhar do ponto A para o ponto B, este é um mundo relativamente compacto.”

 

- Alex Hutchinson, diretor criativo

 
 

4. Vais ter algumas ferramentas divertidas à tua disposição…

Para além de diversas capacidades que podes melhorar, incluindo um gancho de arremesso e uma mochila a jato, tens ferramentas para a mão esquerda e para a mão direita.

Mão esquerda

Esta pode ser usada para vários itens invulgares, desde latas de comida para atrair ou distrair criaturas até “sementes” que podes ligar aos obstáculos e usar como âncora para o teu gancho de arremesso.

Mão direita

Esta é usada apenas para a tua fiel pistola laser. No início do jogo terás uma pistola de raios básica, mas conforme avanças na aventura poderás criar vários melhoramentos, incluindo um modo de disparo “pinball” que lança projéteis que ricocheteiam entre os inimigos.

 
 

5. …mas os disparos não são o principal foco

Os criadores do jogo raramente te forçam a usar a tua arma. Apesar de existirem algumas criaturas que te encaram como uma refeição fácil, a maior parte da vida selvagem do jogo não te atacará sem provocação.

Apesar das criaturas serem uma fonte de materiais de criação, também podes recolher os mesmos recursos a partir do meio ambiente, e conforme as tuas habilidades de navegação e travessia vão evoluindo, poderás escolher evitar as criaturas mais violentas.

A exploração e a aventura são os conceitos principais do Savage Planet, e não a agressão!

“Disparar a arma nunca é o objetivo principal. Nunca receberão uma missão para abaterem 50 alienígenas.”

 

- Alex Hutchinson, diretor criativo

 
 

6. Não existe nenhum mapa para te distrair

És um corajoso aventureiro num planeta inexplorado – é claro que não tens um mapa! Mas apesar desta ausência funcionar em termos temáticos, a verdade é que também foi uma decisão de design. Um mapa pode ser útil, mas também te pode retirar da experiência. Quando completares o Savage Planet, a tua emoção predominante deverá ser, “Esta aventura foi divertida!” ao invés de, “Já limpei todos os ícones do mapa!”

Ao invés de te baseares no mapa, terás de confiar nos teus instintos e nas tuas ferramentas de navegação para planeares o teu percurso através deste mundo de jogo compacto.

 
 

7. Podes jogá-lo com um amigo

Podes desfrutar do Journey To The Savage Planet sozinho, mas também podes chamar um amigo ou familiar para jogar em formato cooperativo do início ao fim ou, se preferires, pedir apenas ajuda para derrotar um boss. O segundo jogador pode entrar e sair a qualquer altura e o anfitrião está sempre no controlo. 

“Acho que não é possível fazer um jogo cooperativo para dois jogadores que não seja uma comédia, por muito que se tente! O nosso mundo acolhe esse caos.”

 

- Alex Hutchinson, diretor criativo

 
 

Reserva já o Journey To The Savage Planet

O Journey To The Savage Planet Edição de Pré-encomenda inclui:

  • Tema Journey To The Savage Planet
  • Bobblehead de Martin Tweed (Presente Corporativo): O complemento perfeito para o teu habitat Javelin, programado com uma variedade de frases motivacionais para colocar um sorriso na tua cara.
  • Amuleto de pistola da Kindred Aerospace (Presente Corporativo): Oferece aos jogadores melhores hipóteses de obter saques superiores quando equipado. Além disso, é uma celebração da prestigiosa nomeação da Kindred como a 4ª Melhor Empresa de Exploração Interestelar!