Como o Wolfenstein: Youngblood reinventa a fórmula FPS da série

…e algumas coisas que esta nova aventura cooperativa localizada nos anos 1980 mantém iguais.

 
 

1. É a primeira aventura Wolfenstein com suporte cooperativo

Os capítulos anteriores da série colocavam-te na pele do lobo solitário BJ Blazkowicz, mas o Youngblood apresenta duas novas protagonistas: Jess e Soph, as filhas gémeas de BJ. O jogo é jogado por completo em formato cooperativo, quer a outra personagem seja controlada pela IA ou por um amigo online. De que forma é que isto afeta a jogabilidade? 

Combate estratégico

Podes contar com mais opções de combate estratégico para eliminar a ameaça nazi em equipa. Por exemplo, uma das gémeas pode irromper pela porta da frente de dedo no gatilho enquanto a outra flanqueia o inimigo para dividir e conquistar. 

Jogo de equipa

Reanima e sê reanimado pela tua camarada de armas a meio do combate, partilha vidas extra, efetua boosts com novos gestos (por exemplo, Jess pode dar um gesto de incentivo a Soph para receber um acréscimo de saúde temporário) ou utiliza armas massivas como a Tesla em conjunto.

Resolução cooperativa de enigmas

Ter duas protagonistas em jogo ao mesmo tempo dá azo a várias oportunidades para resolução de enigmas em modo cooperativo. Trabalha em equipa para ativar interruptores, abrir portas e aceder a locais aparentemente fora de alcance. 

 
 

2. Novas protagonistas

Fica a conhecer Jess e Soph, também conhecidas como Terror Twins: as duas jovens filhas de BJ e da combatente da resistência Anya Oliwa. Elas ainda não eram nascidas no final do Wolfenstein: The New Colossus, mas desde então foram treinadas pelos seus pais na aniquilação da ameaça nazi. E ainda bem que assim foi, porque BJ está desaparecido atrás das linhas do inimigo e alguém precisa de encontrá-lo.

As personagens manifestam personalidades distintas, mas têm acesso ao mesmo leque de habilidades. Poderás selecionar o teu equipamento no início do jogo e de seguida personalizar as especializações das gémeas ao longo da aventura através de uma grande árvore de habilidades.

 
 

3. Novos equipamentos poderosos

A ação decorre duas décadas após o último Wolfenstein, e como tal irás encontrar um grande número de novos engenhos que não existiam durante o teu último confronto com o Terceiro Reich. Uma destas inovações é a armadura energética de Jess e Soph, uma vestimenta futurista que te proporciona diversas habilidades, incluindo:

  • CAMUFLAGEM: sentes-te furtivo? A tua armadura permite-te tornares-te invisível durante curtos períodos de tempo de modo a apanhares os teus inimigos de surpresa.
  • SALTO POTENTE: acede a zonas aparentemente fora de alcance ao premir duas vezes o botão de salto para um impulso secundário em pleno ar.
  • EMBATE PODEROSO: a morte vem de cima! Esmaga a ameaça nazi com um embate poderoso e bem temporizado no solo.
  • DESTRUIR: em resumo, este poder permite-te esmurrar coisas com muita, muita força. Desfaz os inimigos incautos ou transforma as portas em montes de lascas de madeira.
 
 

4. Nova localização nos anos 1980

Após um primeiro confronto a bordo de um dirigível, a ação desloca-se para uma cidade de Paris mergulhada num pesadelo iluminado a néon nos anos 1980. Esta não é a capital francesa que conhecemos e amamos: esquece o Serge Gainsbourg, o Jean-Paul Gaultier e as pastelarias - aqui apenas encontras hordas de nazis vestidos de cabedal e à procura de confrontos.

É um cenário distinto das ruas decadentes da Europa da década de 1960 controlada pelos nazis dos jogos anteriores,
e que dá ao Youngblood um novo estilo visual.

"Todos os inimigos, armas e engenhos do jogo apresentam um novo look adequado ao estilo de ficção científica rétro dos anos 1980"


- Andreas Öjerfors, designer sénior, MachineGames

 
 

5. Nova colaboração, nova perspetiva

A MachineGames, a equipa que desenvolveu os títulos anteriores da série, recebeu agora a ajuda da Arkane Studios – o estúdio talentoso responsável pela aclamada série de ação furtiva Dishonored. A influência da nova equipa é imediatamente notória:

  • Níveis com rotas diversas: enquanto que os jogos Wolfenstein anteriores te levavam do ponto A até ao ponto B, os níveis do Youngblood são compostos por grandes áreas que oferecem diversas formas de atingires o teu objetivo. A exploração é recompensada. Tal como no Dishonored, as áreas ocultas escondem itens especiais, revelações adicionais da história e algumas surpresas.
  • Estrutura aberta: com a exceção do primeiro e do último nível, as missões apresentam diferentes níveis de dificuldade e podem ser escolhidas a partir da tua base pela ordem que quiseres. Existe um sistema de XP, por isso a princípio poderás ter dificuldades em algumas tarefas!
  • Joga à tua maneira: as armas podem ser personalizadas (procura espólios para comprares os melhoramentos) e podes atualizar a tua armadura energética através das árvores de habilidades conforme avanças, permitindo assim que definas o teu próprio estilo de jogo.

"É uma mistura da jogabilidade e do combate intensos da MachineGames com o fantástico design de níveis aberto da Arkane"


- Andreas Öjerfors, designer sénior, MachineGames  

 
 

6. Há uma experiência de RV complementar

O Wolfenstein: Cyberpilot é um jogo complementar e independente para o PlayStation VR localizado em Paris pouco antes dos eventos do Youngblood. Precisarás de ajudar a Resistência ao controlar várias máquinas de guerra inimigas através das tuas capacidades de hacking, e de seguida partir numa senda de destruição pela capital francesa para eliminar a ameaça nazi.

Não precisas de jogar um jogo para desfrutar do outro, mas ambos partilham da mesma narrativa.

"Ao jogarmos o Youngblood, reconheceremos as consequências que as nossas ações no Cyberpilot tiveram na cidade"
 

- Andreas Öjerfors, designer sénior, MachineGames

 
 

E algumas coisas que o Youngblood mantém iguais...

  1. Hordas de nazis malévolos: a década pode ser diferente, mas os fascistas são os mesmos. Lida com eles sem piedade. 
  1. Robôs assassinos gigantes: outro dos elementos mais reconhecíveis do Wolfenstein, os grandes robôs armados até aos dentes, está de volta e em força, incluindo a nova versão dos Panzerhunds.
  1. Armas enormes: não seria o Wolfenstein sem armamentos exagerados e destruidores e o Youngblood não se deixa ficar para trás, colocando um grande arsenal à tua disposição.
  1. Linguagem de fazer corar: o sentido de humor característico da série está intacto. As gémeas não herdaram apenas as capacidades de combate de BJ; parece que o uso criativo da língua inglesa do seu pai também lhes está no sangue… 

"No seu peito bate forte o coração do Wolfenstein. Ainda usamos armas ridiculamente poderosas para desfazer nazis enquanto que a história mantém a nossa mistura de temas sérios, personagens cativantes e humor negro"


- Andreas Öjerfors, designer sénior, MachineGames